MIASTENIA GRAVE

  A miastenia grave é um distúrbio crônico neuromuscular caracterizado pela fraqueza muscular e fadiga rápida quando o músculo é exigido.

  Há dois tipos possíveis de miastenia grave: adquirida e congênita. A forma adquirida nada mais do que é uma doença autoimune, em que os anticorpos atacam células e tecidos saudáveis do organismo por engano, confundindo-os com agentes invasores, como vírus e bactérias.

  Já a forma congênita acontece quando os anticorpos produzidos pela mãe passam para o feto por meio da placenta.

  As razões pelas quais a miastenia grave ocorre ainda não estão totalmente esclarecidas. Se for do tipo autoimune, a resposta imunológica se volta contra os componentes da placa motora responsável pela transmissão do estímulo nervoso que faz o músculo contrair, a acetilcolina. Esse processo interfere na transmissão do impulso nervoso e provoca o enfraquecimento rápido dos músculos.

  Alguns médicos acreditam que a miastenia grave possa estar vinculada de alguma forma a tumores no timo, uma glândula ligada ao sistema imunológico responsável pela produção de anticorpos.

  Os fatores genéticos são os principais fatores de risco para a miastenia grave – principalmente porque eles estão diretamente relacionados à forma congênita da doença. Além disso, fadiga, estresse, o calor extremo e outras condições de saúde também podem contribuir para o surgimento da doença. Alguns medicamentos, como betabloqueadores, certos anestésicos e antibióticos, também podem aumentar o risco de uma pessoa vir a desenvolver miastenia grave.

 

Sintomas de Miastenia grave

  A fraqueza muscular é o principal sintoma de miastenia grave e piora à medida em que o músculo afetado é usado repetidamente. Como os sinais e sintomas costumam melhorar com o repouso, a fraqueza muscular pode ir e vir. O problema é que os outros sintomas da miastenia grave também tendem a se agravar com o passar do tempo, principalmente se não forem tratados corretamente.

  Apesar de miastenia grave poder afetar qualquer um dos músculos do corpo humano, certos grupos musculares são mais comumente afetados do que outros, como:

Músculos dos olhos

  Em mais da metade das pessoas que desenvolvem miastenia grave, os primeiros sinais e sintomas envolvem problemas oculares, tais como pálpebras caídas e visão dupla.

Músculos do rosto e pescoço

  Fala alterada (nasalada), cabeça caída, dificuldade para engolir, facilidade para engasgar, problemas de mastigação e perda do controle dos músculos faciais ligados às expressões, como sorrir, por exemplo.

Músculos dos membros

  Além disso, miastenia grave pode causar fraqueza nos músculos dos braços e das pernas – que geralmente vem acompanhada da fraqueza muscular que atinge outras partes do corpo. Geralmente, a doença afeta mais os braços do que as pernas.

 

  Para diagnosticar a miastenia grave, o médico deverá realizar um exame físico e lhe fazer uma série de perguntas sobre seu histórico clínico. Em seguida, ele pedirá alguns exames específicos, como:

Exame neurológico, para avaliar reflexos, força muscular, sentidos do tato e da visão e noções de coordenação e equilíbrio;

Teste edrofónio;

Exame de sangue;

Exame de eletroneuromiografia com estimulação nervosa repetitiva;

Exames de imagem, como tomografia computadorizada e ressonância magnética;

Testes de função pulmonar;

Testes genéticos;

Biópsia do tecido muscular.

 

  O uso de uma injeção de prostigmina, substância que ajuda a recuperar a força muscular por algum tempo, pode ser útil para confirmar a suspeita de miastenia grave.

 

 TRATAMENTO:

  Existem inúmeras possíveis abordagens terapêuticas para tratar miastenia grave. No entanto, uma combinação desses métodos costuma ser a saída mais eficaz para tratar os sintomas da doença. Veja:

Medicamentos

  O uso de alguns medicamentos, como imunossupressores, corticosteroides e inibidores de colinesterase, costuma ser combinado a uma terapia chamada de plasmerase, que consiste na remoção do plasma com anticorpos, a fim deste ser substituído por um plasma livre de células de defesa, e, também, a infusões de imunoglobilina intravenosa, que tem como objetivo prover seu corpo com anticorpos capazes de conferir resistência maior ao seu organismo.

Cirurgia

  Aproximadamente 15% dos casos confirmados de miastenia grave são acompanhados por um tumor no timo – uma glândula que está diretamente envolvida no sistema imunológico. São nesses casos em que a cirurgia para remoção do timo é o método mais indicado para tratar miastenia grave.

Mesmo sem a ocorrência de tumor, a cirurgia pode ser uma boa saída para aliviar os sintomas causados pela doença, livrando o paciente do uso de medicamentos.