HIPOTIREOIDISMO CONGÊNITO

  O hipotireoidismo congênito é uma doença hereditária que impossibilita a glândula tireoide do recém-nascido gerar ohormônio tireoidiano T4. Em crianças pequenas esse hormônio é fundamental e a ausência dele diminui o metabolismo, impedindo o crescimento e o desenvolvimento físico e mental do indivíduo.

  O hipotireoidismo congênito é uma das causas mais frequentes e preveníveis de deficiência mental.

  Onde há deficiência de iodo na alimentação, o hipotireoidismo congênito pode ser causado por esse fator.   Em regiões onde essa deficiência não é endêmica, o hipotireoidismo congênito em geral é causado por umaglândula tireoide ausente ou ectópica (localizada, por exemplo, na base da língua), geneticamente determinada. Mais raramente, é uma patologia herdada que leva a uma falha na biossíntese do hormônio tireoidiano.

  As crianças não tratadas precocemente têm o crescimento e desenvolvimento mentais seriamente comprometidos, ficando com hipotonia muscular, dificuldades respiratórias, cianose, icterícia prolongada,constipação, bradicardia, anemia, sonolência excessiva, choro rouco, hérnia umbilical, alargamento defontanelas, mixedema, sopro cardíaco, dificuldade na alimentação com deficiente crescimento de peso e estatura, atraso na dentição, retardo na maturação óssea, pele seca e sem elasticidade, atraso de desenvolvimento neuromotor e retardo mental.

  É importante lembrar que cerca de 20% dos casos são assintomáticos ao nascimento e que os sintomas, quando presentes, podem ser pouco expressivos. O que aumenta a importância da realização do Teste do Pezinho em todos os recém-nascidos. O ideal é que a coleta seja feita ainda na maternidade, após 48 horas de vida.

  O diagnóstico de hipotireoidismo congênito deve ser feito o mais precocemente possível, pois se sabe que já a partir da quarta semana de vida a deficiência de hormônios tireoideos pode causar lesões neurológicas. A primeira indicação parte do Teste do Pezinho, exame de sangue realizado através de punção no calcanhar do recém-nascido. Em seguida, se o teste sugere a patologia, deve ser realizada a dosagem de T4 e TSH em amostra de sangue venoso, obtida o mais cedo possível, para que haja a confirmação diagnóstica. Exames de imagens, como ultrassonografia, ressonância magnética, cintilografia de tireoide, entre outros, podem ajudar para que seja determinada a etiologia do processo.

 

 TRATAMENTO:

  O tratamento deve começar logo após a realização do Teste do Pezinho ter detectado o problema, já na primeira semana de nascimento. O tratamento consiste na reposição dos hormônios tireoideos deficitários e deverá ser mantido por toda a vida. No início do tratamento, é usada uma dose alta de T4 com o objetivo de atingir rapidamente os níveis de T4 considerados ideais para minimizar os danos cerebrais. Se os exames destinados a esclarecer a etiologia do problema tiverem que retardar o início da reposição hormonal é aconselhável que não sejam realizados neste momento, deixando-os para mais tarde, quando os hormônios podem ser suspensos temporariamente.

  Se não tratado na época certa, o indivíduo com hipotireoidismo congênito terá um hipodesenvolvimento físico e mental irreversíveis.

Quando adequadamente tratado, o bebê com hipotireoidismo congênito terá uma vida normal.