ANGIOEDEMA

       Sinônimos: edema angioneurótico, edema de quincke, urticária gigante, vergão

  O angioedema é um “inchaço” semelhante à urticária, mas que acontece nas camadas mais profundas da pele.

 

 Angioedema pode ter diversas causas. Veja:

  Alimentos

Muitos alimentos podem desencadear reações alérgicas. Marisco, peixe, amendoim, nozes, ovos e leite são alguns bons exemplos.

 

  Medicações

Quase qualquer medicação pode causar angioedema. Analgésicos e medicamentos para pressão arterial são os principais vilões.

 

  Alergias mais comuns

Outras substâncias que podem causar angioedema incluem pólen, pelos de animais, látex e picadas de insetos.

 

  Fatores ambientais

Exemplos incluem o calor, o frio, a luz solar, água, a pressão sobre a pele, o estresse emocional e exercício físico.

 

  Condições médicas subjacentes.

Angioedema também pode ocorrer, ocasionalmente, como uma resposta a:

  • Transfusões de sangue

  • Perturbações do sistema imunológico, como doenças autoimunes

  • Alguns tipos de câncer (por exemplo, um linfoma)

  • Distúrbios da tireoide

  • Infecções por bactérias ou vírus, tais como hepatite, HIV, citomegalovírus ou o vírus de Epstein-Barr.

 

  Genética

O angioedema hereditário (AEH) é raro e está relacionado com níveis baixos ou funcionamento anormal de determinadas proteínas do sangue, responsáveis pela regulação do sistema imunológico.

 

  Fatores de risco

Angioedema é uma condição comum, mas alguns fatores são considerados de risco para o desenvolvimento desta doença. Você pode vir a ter angioedema se:

  • Já foi diagnosticado com angioedema anteriormente

  • Tiver ou tiver tido outras reações alérgicas

  • Tiver um distúrbio associado à angioedema, como lúpus, linfoma ou alguma doença da tireoide

  • Ter histórico familiar de angioedema ou angioedema hereditário.

 

  Sintomas de Angioedema

O principal sintoma do angioedema é a ocorrência de um inchaço repentino sob a pele, em suas camadas mais profundas. Também é possível desenvolver vergões ou inchaços na superfície da pele, embora esta condição não possa ser confundida com urticária. Importante: as duas doenças estão relacionadas, mas podem ocorrer separadamente ou ao mesmo tempo. É possível uma pessoa apresentar angioedema e não ter urticária, por exemplo.

  O inchaço geralmente ocorre ao redor dos olhos e dos lábios. Ele também pode se manifestar nas mãos, pés e na garganta.

  Os vergões são doloridos e podem causar coceira. Eles ficam pálidos e incham se estiverem irritados. O inchaço mais profundo de um angioedema também pode causar dor.

  Outros sintomas podem incluir:

  • Cólica abdominal

  • Dificuldade para respirar

  • Olhos e boca inchados

  • Inchaço na conjuntiva ocular (quemose).

 

  Geralmente, é possível tratar casos leves e moderados de angioedema em casa. Marque uma consulta médica se os sintomas persistirem por mais de alguns dias. Procure assistência médica de emergência se você sentir, eventualmente, que o inchaço está bloqueando suas vias aéreas e impedindo-o de respirar.

 

 TRATAMENTO:

 

  Sintomas leves podem não precisar de tratamento, mas sinais moderados e graves da doença precisam ser manejados. Neste caso, o tratamento para angioedema é feito basicamente com o uso de medicamentos.

  Podem ser usados, principalmente, anti-histamínicos e anti-inflamatórios hormonais (corticosteroides).

Mas ao contrário do angioedema alérgico, as crises do Agiodema Hereditário (AEH) não respondem ao tratamento com medicamentos anti-histamínicos, corticosteroides ou epinefrina.

  As atuais opções de tratamento para AEH visam propiciar rápido alívio durante as crises ou a prevenção dos sintomas em pacientes que têm alta frequência de crises (mais de uma por mês) ou que serão submetidos a procedimentos odontológicos ou cirúrgicos que podem desencadear uma crise.

  As terapias são divididas em 3 classes

  1. Tratamento de crises agudas

  2. Profilaxia a longo prazo

  3. Profilaxia a curto prazo